MC Livinho para de cantar sobre sexo e critica sertanejos: ???Maquiam o que o funk fala abertamente???

0 comentários

Funkeiro diz que mudou de estilo por ter muitos fãs crianças.

MC Livinho ganhou muitos fãs com algumas de suas músicas mais ousadas, mas isso ficou para trás. Com um post no Facebook, Livinho avisou aos seguidores que não cantaria mais letras sexuais. Em entrevista ao R7, o funkeiro explicou sua decisão.

— Já mudei desde Tudo de Bom. Foi pela proporção que tomou o meu funk, entende? De eu chegar e ver criança chorando, me abraçando. Eu não quero que aquela criança fique falando "essas coisas" para a mãe, para o pai. Quero que ela passe uma infância de criança, não já adiante, com letras de sexo, palavras pejorativas. Eu só fiquei preocupado porque criança não tem discernimento, é influenciada com facilidade.

Mesmo tendo decidido mudar de estilo, Livinho elogia a sinceridade e o desprendimento do funk, que aborda qualquer assunto com naturalidade. Em contrapartida, ele critica estilos como o sertanejo.

—  Tem uma música agora do Eduardo Costa que fala "ô ô ô vamos brincar de besteirinha, brincar de fazer amor". Só maquiam o que o funk fala abertamente. O funk é direto. As pessoas gostam de se enganar, de passar um pano por cima. É meio hipocrisia.

MC Livinho diz não gostar de ostentação: "Nunca vou comprar carrão para me exibir"

Em seu último vídeo, da música Cheia de Marra, Livinho conquista uma família inteira. Na trama, ele chama a atenção de filha, mãe e avó ao mesmo tempo. Em poucos dias, o clipe passou de 1 milhão de visualizações. Para garantir que seu novo estilo seja respeitado, Livinho participou da concepção do roteiro, da direção e da criação artística do vídeo. 

 

Na vida real, o funkeiro também recebe muito assédio, tanto de mulheres quanto de homens. Ele diz não se importar. 

— Contanto que me respeite, tudo bem. O respeito é recíproco. Se você me acha bonito, pode escrever "bonito" lá [nas redes sociais], mas tem umas frases pejorativas que não são legais, porque aí desvaloriza, tanto vindas de meninas quanto de caras. Já cantei em casa LGBT. Eu tô ali para fazer o meu show, não importa pra quem é. Se é preto, se é branco... Não vou julgar jamais. Quem julga é Deus e ele julga nossos atos, não nossas características.

Só que Livinho foge do rótulo de galã, não se considera vaidoso e credita sua forma física à determinação que tem. 

— Nunca me considerei um cara atraente, galã. Eu só me arrumei, quis fazer academia, focar, aí eu comecei a ver resultado. Mas vi que tinha que fazer dieta, então tirei isso como um aprendizado. Basta você criar uma vontade e seguir, como a academia. Eu não paro mais agora. Aí quando eu quiser focar numa faculdade de música, num conservatório de música, eu vou conseguir porque já aprendi a focar em uma coisa.

Fonte: entretenimento.r7.com

Comentários