MC Carol faz vaquinha virtual após ter casa inundada em enchente.

0 comentários

Funkeira revela que está morando na casa de sua faxineira.

 

MC Carol está precisando de ajuda. A funkeira, que estourou com o sucesso “Minha avó tá maluca”, viu a casa onde morava no bairro de Maria Paula, em Niterói, ficar completamente alagada. O imóvel, de três quartos e dois andares, teve o térreo inundado em março, após uma forte chuva que atingiu a cidade. Sem ajuda da imobiliária dois meses depois, ela se inscreveu num site de vaquinha virtual para buscar outra casa e comprar móveis.

Até a publicação desta matéria, a campanha veiculada no site "Vakinha" tinha arrecadado R$ 1.200 após dois dias no ar — o correspondente a 6% dos R$ 20 mil pedidos. O site mostra ainda que outros R$ 20.115 estão com a situação de pagamento "a confirmar".

Após o susto, Carol deixou o imóvel e está morando na casa da faxineira que trabalhava para ela e tem ajudado nas despesas da casa, principalmente com as compras:

— Junto com ela moram os três filhos e o marido de uma das filhas. Estou dormindo num colchão.

Segundo a funkeira, não é apenas a contribuição financeira que tem ajudado:

— Desde que divulguei a minha situação no Facebook, recebi muitas mensagens de gente que não pode doar dinheiro, mas que me deseja boa sorte. Essa carinho tem sido importante para me dar força.

A casa onde Carol morava era alugada, e agora ela tenta arrecadar R$ 20 mil para conseguir alugar outro imóvel e comprar outros utensílios como fogão, geladeira e roupas, que perdeu no alagamento. O contrato foi fechado em outubro e, na época, ela gastou R$ 25 mil.

PUBLICIDADE

— Nem penso em ter tudo isso, o mínimo basta — afirma a funkeira.

Ela disse ainda que pensou em procurar um advogado, que cobrou R$ 3 mil pelos seus honorários e ainda avisou que Carol corria o risco de perder, já que no contrato havia uma cláusula responsabilizando o morador por possíveis danos consequentes de chuva.

— Se perdesse, ainda teria que pagar o advogado da imobiliária, não quis correr esse risco — explica.

 Fonte: oglobo.globo.com 

 

Comentários