Lexa pode pagar R$ 10 mil caso descumpra ordem judicial

0 comentários

Assessoria de imprensa da cantora explicou ao EGO decisão em processo polêmico com a ex-empresária Kamilla Fialho.

Lexa e Kamilla Fialho (Foto: Reprodução / Instagram)

A assessoria de imprensa de Lexa entrou em contato com o EGO, para explicar a decisão judicial anunciada nesta quinta-feira, 4, quando a juíza Romanzza Roberta Neme, determinou que a cantora cumpra todos os compromissos profissionais já agendados através da ex-empresária Kamilla Fialho, até o fim de março deste ano, sob pena de multa calculada no valor de R$ 10 mil.

"O que saiu foi uma liminar que diz que a Lexa tem que cumprir com os compromissos já acertados pelo antigo escritório dela (algo que ela já faria em respeito ao público). De toda forma, ela ainda não foi notificada, então qualquer liminar só começará a valer quando ela for notificada", informou o porta-voz de Lexa.

Ainda sobre a questão do nome "Lexa", que seria de propriedade de Kamilla Fialho, o assessor informou: "Sobre o nome nada foi julgado, ela pode continuar usando o nome, dando entrevistas e participando de programas. Essa liminar só fala sobre o cumprimentos dos shows já agendados, que ela deve cumprir. Ela irá sim cumprir a agenda existente, mas não existe a possibilidade de retorno dela ao antigo escritório. Enquanto isso ela pode sim seguir usando o nome, nome este que sempre foi dela, Lexa não foi criado por nenhum escritório, já era ela."

No início da noite, a empresa K2L, de Kamilla Fialho, enviou um comunicado destacando, etre outras informações, o investimento feito na carreira de Lexa durante sua permanência como contratada: "Desde o início do contrato, em 13 de outubro de 2014 até o momento, a empresa já investiu R$ 1,8 milhão no gerenciamento artístico de Lexa, incluindo marketing digital e social, produção executiva e artística, vendas de shows/eventos, licenciamentos de produtos, publicidade, assessoria de imprensa e consultoria de imagem."

Entenda o caso

No dia 20 de janeiro, veio à tona a crise entre Lexa e Kamilla Fialho - que já foi empresária de Naldo, Valesca Popozuda e Anitta. Segundo a K2L, a cantora teria sumido, faltado compromissos profissionais e trocado as senhas de todas as redes sociais.

Pessoas próximas a Lexa contam que a crise não foi à toa. Elas garantem que a artista estava sendo quase escravizada: dava um grande retorno à empresária, mas recebia apenas um salário mensal de R$ 3 mil.

Ao EGO, Kamilla classificou a crise como um surto de sua então agenciada. "Surtou e não estamos entendendo o que está acontecendo", disse ela.

A mãe de Lexa, Darlin Ferratry, não gostou da declaração e defendeu a filha. "Ela (Kamilla) disse que a Lexa surtou, faltou compromisso profissional... Mas, até o momento que ela mandou isso para a imprensa, a minha filha estava trabalhando com a equipe da K2L. Que empresário denigre a equipe do seu cliente assim?", questionou.

"As contas não batem, mas não posso falar sobre isso por orientação dos advogados. Primeiro foi o Naldo, depois a Anitta que é super do bem, a Valesca que é uma querida e agora a Lexa. Quatro clientes. Será mesmo que o problema estão nos cantores?", avaliou Darlin, que promete processar Kamilla por danos morais.

Cópia do processo entre Lexa e Kamilla Fialho (Foto: Reprodução)

Fonte: ego.globo.com 

Comentários