Anitta diz que não fica mais chateada com bullying e comenta plásticas: "Só quis melhorar"

0 comentários

Desde que começou sua carreira, há 6 anos, Anitta passou por várias mudanças de visual. Capa da Marie de Marco, ela confirma que fez plásticas no nariz, seios e abdome e nega que tenha aumentado os lábios.

"Nem lembro a última vez em que chorei por causa disso", diz Anitta sobre bullying (Foto: Bob Wolfenson)

Prestes a completar 23 anos, Anitta já tem uma carreira que afronta qualquer invejosa. Foi indicada ao Grammy Latino, vai estrear como apresentadora no Multishow e o clipe de sua música “Bang” bateu 130 milhões de visualizações no YouTube. Não bastassem os números superlativos, foi ainda apadrinhada por figurões da moda. Agora, se prepara para se lançar em uma carreira internacional.

ANITTA X LARISSA
Anitta foi criada em Honório Gurgel, bairro de classe média na Zona Norte do Rio. Seu nome verdadeiro é Larissa de Macedo Machado. Começou cantando como coroinha da igreja, depois em bailes de dança de salão, até ser descoberta por Renato Azevedo, o DJ Batutinha, “Midas” do funk, que também lançou o cantor Naldo. O DJ assistiu a um vídeo caseiro postado por Anitta no YouTube, no qual ela cantava com um frasco de xampu como microfone. “O áudio era bem ruim, mas deu para perceber que ela tinha uma voz bonita, um jeito de olhar para a câmera e de dançar diferentes”, conta Batutinha. “Ela é um talento”, derrete-se.

A alcunha artística foi uma escolha da própria Larissa, fã da ninfeta vivida pela atrizMel Lisboa na minissérie Presença de Anita (2001). Para evitar problemas de direito autoral, Batutinha sugeriu dobrar a letra “t”. Na época em que postou o tal vídeo que lhe abriu as portas da Furacão 2000 – gravadora que lançou Valesca Popozuda e da qual Batutinha era produtor –, Larissa, então com 16 anos, era estagiária da mineradora Vale do Rio Doce.

Conciliava o emprego com o curso técnico de administração de empresas, aulas de inglês, academia e o sonho de virar artista. “Não almoçava, que era para dar tempo de fazer tudo”, conta. A escolha do curso foi sugestão do pai, o empresário mineiroMauro Machado, 51. Preocupado como rumo incerto de sua loja de baterias de carro, sugeriu que a filha fizesse um curso técnico, para que tivesse uma profissão garantida antes de fazer faculdade.

SHOW DAS PODEROSAS
Apesar de cantar sobre o “poder das mulheres”, Anitta rejeita o rótulo de feminista. “Muita gente entende que o feminismo quer nos colocar numa posição superior à dos homens. Não acredito nisso. Defendo direitos iguais.” As feministas, por sua vez, ficaram enfurecidas com a cantora no fim de 2014 quando, em um debate com a cantora Pitty no programa "Altas Horas", Anitta disse que as garotas de hoje levam os rapazes a pensar mal delas. Bastou para que os ataques contra ela fervessem nas redes sociais.

Por essas e outras, prefere manter distância de quem tira sarro dela na internet. Fotos que a mostram na fase pré-fama ao lado da atual, com os dizeres “Antes do Bolsa Família/Depois do Bolsa Família”, viraram memes. “Ficava chateada quando sofria bullying. Agora, não. Nem lembro a última vez em que chorei por causa disso.”

Anitta passou por uma virada fashion e foi apadrinhada por Riccardo Tisci e Reinaldo Lourenço (Foto: Bob Wolfenson)

VIRADA FASHION
Desde os tempos de Furacão 2000, a cantora passou por transformações de imagem.Teve três stylists (“Demorei para encontrar alguém que me entendesse”) e fez cirurgias plásticas – ela assume apenas as de redução, feitas no nariz, seios e abdome, mas nega até o fim que tenha aumentado os lábios às vésperas do Carnaval, como suspeitaram seus detratores virtuais (“Fiz, sim, cirurgias plásticas, mas sempre me amei. Só quis melhorar”). Mudou de empresário duas vezes. Com a última, Kamilla Fialho, trava uma guerra judicial coma acusação de quebra de contrato.

Hoje, é Anitta quem cuida da própria carreira. Como chefe, faz a linha dura. A stylist Carol Roquete, que está com a cantora há um ano, passou por processos seletivos e entrevistas. “Acho que a conquistei porque propus uma identidade nova”, diz Carol. A primeira providência foi se livrar dos mais de 50 bonés que tinha no closet. “Ela usava looks de uma jovem funkeira com pouco acesso às informações de moda”, diz o estilista Reinaldo Lourenço, que acabou se rendendo à onipresença de Anitta. Prova dissso foi o convite feito à cantora para assistir ao seu desfile na última semana de moda paulistana. Claro, na concorrida fila A. “Anitta evoluiu. Está mais madura e chique. Como as cantoras americanas, ela vende um estilo e um comportamento”, diz Reinaldo.

Outro estilista, o italiano Riccardo Tisci, da Givenchy, por exemplo, gostou tanto
da moça que a apadrinhou em 2014, quando ela disputou o Grammy Latino. Anitta não levou o prêmio, mas ganhou uma bolsa de R$ 6 mil (exclusiva) do designer, que publicou duas fotos dela em seu Instagram com as legendas “Made in Brazil” e “Sexy Anitta. Muito bem”. Quando Tisci veio ao Brasil, no ano passado, aproveitou para assistir a um show e lhe entregou mais uma bolsa de presente, de R$ 16 mil, no camarim.

Na música, a moça também está mudando seu estilo. Além do funk, canta agora samba e pop. Depois de fazer uma participação no filme americano "Breaking Through", ainda sem data de lançamento no Brasil, apresentará o programa "Música Boa ao Vivo", do Multishow, no primeiro semestre. Nada mau para quem, depois de conquistar o Brasil, almeja dominar o mundo. “Traduzi músicas para o espanhol e escrevi outras em inglês”, diz, enquanto tira as botas brancas over the knee. “Todas as noites, rezo para tudo dar certo”, revela. Ao que tudo indica, vai dar. Pre-pa-ra!

Fonte: revistamarieclaire.globo.com

Comentários